quinta-feira, 20 de novembro de 2008

"A Collection For Enemies And Friends 1992-2002": ROSS!

Só sei que nada sei. Nunca uma frase soou tão sábia e pertinente. Porque eu me pergunto: como levei 16 anos para esbarrar com o Ross? Como poderia ter-me escapado uma banda cujas principais influências são Beatles, Zombies, Brian Wilson, e que transita pelo pop psicodélico soando como um Sunshine Fix ou um Olivia Tremor Control? Ou ainda: a banda é um projeto do espanhol Juan Ross, de Múrcia... e eu mapeio o pop espanhol há muitos anos... mesmo assim, apenas em 2008 cheguei ao Ross! Mas porque tantas perguntas e tanta perplexidade por só agora conhecer a banda? Porque é uma das maiores bandas de pop psicodélico que existem na face da Terra atualmente! Simples assim. Mas é aqui que outra frase soará sábia e pertinente: antes tarde do que nunca.

Com três álbuns cheios na discografia e diversos EPs, o Ross é a expressão artística da mente criativa de Juan Antonio Ross. Sempre convocando diversos músicos a amigos para fazerem parte do projeto, Juan é um verdadeiro mestre na arte das melodias pop com toques psicodélicos. Tem um domínio impressionante das timbragens, da produção e arranjos de canções que remetem aos anos sessenta e setenta. Uma sensibilidade apurada no trabalho vocal, tanto nas harmonias como no timbre da sua voz. É uma coleção majestosa de pérolas pop disposta nesta compilação.

Enemies & Friends reúne, em um CD duplo, uma seleção de canções dos álbuns – todos fora de catálogo - Sugar, de 1996; Supersonic Spacewalk, de 1998 e Rossland, de 2001, no CD 1, e lados B, outtakes e raridades no CD 2. São 22 faixas por CD, o que torna dificílima a tarefa de destacar canções. Principalmente as faixas do CD 1, que estão equiparadas em um altíssimo nível de proficiência. É uma profusão de canções pop perfeitas estonteante: “My Sister”, “Smoking Control”, “Sleeplessness”, “Nothing For Happiness”, “Song For My Little Things”, “On The Air”, “Joy”, “Living In The Sun”, “Like a Photograph” – esta última, uma das maiores canções pshyc pop de todos os tempos.

Refrão memorável atrás de refrão memorável; harmonias vocais perfeitas em cascata; acordes viciantes escorrendo pelos auto-falantes... e, ainda, temos as canções com viés mais psicodélico, mas, mesmo assim profundamente pop: “Glass Onion World”, “Starships + Supersonic Spacewalk”, “Sugar”, “Cosmography”, “Rainbows”, “Psychocellos” e “Foam Ruber Room”. No CD2 temos jóias raras que Juan se deu ao luxo de colocar em EPs: “Birds Of My Mind”, “All Smoke Is Mine”, “Once Up On A Time” e “Cosmos Bell”. E covers significativas: “Verissimilitude”, do Teenage Fanclub; “In The Street” do Big Star; “I Don’t Remember Your Name” dos Records e “Yes It Is”, dos grandes inspiradores e mentores espirituais do Ross - os Beatles.
Agora eu te pergunto: onde você está que não conhece o Ross? No mundo das luas psicodélicas de Saturno – só se for!

http://www.rossland.es/
www.myspace.com/rosspop

Um comentário:

dbareas disse...

Pô, preciso confessar q me deu a maior vontade de por as mãos nesse CD...hahahhahah. Muito boas as músicas no MySpace..."I Don't Remember Your Name" é puro Beatles Revolver/Rubber Soul. E vc deve ter reparado no título de uma das canções:"Cosmos Bell"...e eu achei q a canção poderia perfeitamente ter sido escrita pelo saudoso Chris.