quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

"Kai Reiner": KAI REINER!

Desde que a música pôde ser transformada e comprimida em um arquivo virtual, foi inevitável a perda de um certo valor emocional. Compartilhar música passou a ser dividir arquivos trocados via computador. A facilidade vulgariza e desvaloriza. Mas Kai Reiner ainda acredita que compartilhar música seja dividir emoções. Não importa se o músico alemão esteja na sua Hamburgo natal e você a mais de dez mil quilômetros dali. Importa os quatro anos que Reiner passou da sua vida preparando este álbum para partilhar com você. Anos polindo peças sonoras, embalado pelo sonho da canção pop perfeita que começou num show de Brian Wilson.

Kai compôs e produziu todas as faixas. Tocou as guitarras, o baixo e a bateria, e cantou com uma paixão pela melodia que transborda. Se a gravação soa caseira, as composições se sobrepõem pela força da inspiração. Porque Kai quer compartir as boas sensações, quer fazer voar o sentimento de bem-estar pelas milhas que a distância agora não pode separar. E até a força da imagem tem o que dizer: a capa do álbum traz uma Rickenbaker – com o nome de Kai Reiner gravado – sobre a grama verde banhada pelo sol. Isso já sugere muito dos sons que estarão contidos no álbum. Sugere que em terras frias, nem só os pássaros querem o sul para se aquecer.

E é exatamente isso que Kai começa dizendo na sensacional canção de abertura “Cold Summer”: “vamos pagar um avião para qualquer lugar/eu quero sentir o brilho do sol em meus olhos/aqui o verão é frio”. Palavras imersas em um clima de beleza melódica indescritível, as guitarras brilhando em intenso jingle-jangle, e a voz de Reiner doce como um pote de mel. Fãs de Teenage Fanclub terão uma síncope! Clima mantido na belíssima “Only We Both Now”, melodia celestial - ouça de joelhos, agradecendo aos céus pela oportunidade – e riff de guitarra memorável. “Hey K” confirma a sensibilidade do alemão para forjar canções pop fortes e emocionais

Essa é atmosfera: riffs explodindo sobre melodias pop impressionantes, com a sonoridade Rickenbaker adornando o sempre ambiente emotivo. Seja em “I Don’t Want Your Crown”, “It’s Okay” ou “Are You Okay”. É a contraposição para que o power pop saia perfeito: guitarras incisivas, bateria vigorosa e sem firulas, riffs fortes, melodias adesivas e vocais harmônicos e amigáveis - “Brown Eyes”, “Roll On The Holidays”, “Know You Now” são protótipos. Para atingir as fibras do coração, os dóceis acordes de “Emily”. Na faixa de encerramento “Shine”, Kai Reiner pede a Deus que, no dia em que partir, ter tido a chance de ficar na memória daqueles que conheceu. Depois deste disco, ele não precisa mais pedir.

www.kaireiner.com
www.myspace.com/kaireinermusic

3 comentários:

dbareas disse...

ÓTIMAS as músicas do MySpace. Já estou com o disco, já já ponho minha opinião aqui e na comunidade.

dbareas disse...

É o conceito de disco pop levado às últimas consequências: vc ouve, não salta uma faixa sequer, e ainda quer ouvir de novo. E sente-se melhor a cada vez q ouve. Candidatas a não-sai-da-cabeça-nem-q-eu-tente: "Only We Both Know", "Hey K", "Know you Now", "Emily". A gravação, apesar de caseira, é de bom nível (apenas achei q os vocais podiam ficar um pouquinho mais à frente, mas isso é irrelevante). Muito bom, mesmo.

Dione disse...

Ola
somos de um selo novo chamado Bolinhas Records, e gostaria de te convidar a dar uma olhada no nosso myspace.

www.myspace.com/bolinhasrecords.

Obs: estamos distribuindo o disco do Kai Reiner no Brasil.

Abraços

Dione e Carol