segunda-feira, 4 de maio de 2009

"Somewhere Else": STEPHEN LAWRENSON!

A maestria pop do americano Stepehen Lawrenson transformou os últimos cinco anos em longa espera. Desde seu álbum de estreia, Every Summer, não se ouvia nada vindo da pequena cidade de Susquenhanna, Pennsylvania. E, em meio ao mar de artistas independentes que povoam o mundo musical – seja real ou virtual – Lawrenson volta com seu timbre inconfundível, sua heróica Rickenbaker e suas gemas de esmerada lapidação sessentista. Em Somewhere Else, Lawrenson tocou todos os instrumentos, fez todas as vozes e ainda produziu o disco.

A instrumental e climática “Theme From Somewhere Else” abre álbum, com pianos, órgãos e guitarras épicas. “Let’s Go” chega afiada no riff de guitarra e já apresenta as credenciais de Stephen nas melodias ganchudas e harmonias vocais bem cuidadas. Guitarra acústica para a beleza clássica de “Home To Me”, que se composta por George Harrison seria imortal em rádios e corações. O órgão barroco carrega o ouvinte na flutuante “Anybody Else”, e a brilhante sonoridade da Rickenbaker leva até o refrão memorável de “Faith In You”.

A balada “Sucess” exalta que “aprendemos mais com nossos fracassos que com nosso sucesso” e a bucólica e belíssima “Mother Nature’s Daughter”, não esconde a fixação de Stephen Lawrenson pelos Beatles. Com uma intro instrumental dos deuses, a vinheta/interlúdio “Backyard Riverside Stargazer’s Club” antecede a pérola pop “Hey!”. “Truth” embala sonhos ao piano e na sua ambiência envolvente e “Something I Can Hold On To”, salpica o ar de poeira cósmica e reconforta na voz melódica e doce de Lawrenson. O artesão que consegue talhar a obra com técnicas alheias e conhecidas, mas que no fim consegue um resultado único e particular.

www.stephenlawrenson.com
www.myspace.com/stephenlawrenson

2 comentários:

dbareas disse...

Muito boas as músicas do MySpace !
Já estou com o disco, mais tarde falo mais.

A voz dele me lembrou um pouco a do John Davis do Superdrag.

dbareas disse...

Esse é disco pra ser lembrado na hora de fazer a lista "best of".

MUITO bom, gostei demais. Os ganchos das músicas são excelentes, os temas instrumentais são ótimos (particularmente o que abre o disco, simplesmente sensacional).

O que impressiona é a riqueza dos arranjos, as harmonias perfeitas, ainda mais sendo tudo feito por uma pessoa só.

E a voz dele continua me lembrando a de John Davis :) (e mais longinquamente a de Alex Chilton). Isso fica mais claro em "Let's Go".