domingo, 27 de abril de 2008

"Pequenas Coisas Me Fazem Feliz": RADIOTAPE!

Vamos separar as coisas: foi-se o tempo em que boas melodias eram diretamente associadas à ingenuidade juvenil. Há muito, os bailinhos sessentistas ficaram no hall das lembranças e, a geração flower power, órfã de uma revolução que nunca aconteceu. A juventude que hoje valoriza a melodia – e posta-se em contraposição à música eletrônica do novo milênio – conhece as regras do jogo e sabe que, o que lhes cabe, é a busca da diversão e bem-estar. Sem maiores pretensões de dominação mundial.

Assim funciona o Radiotape, como um fluxo despreocupado de canções pop, espontâneas pela própria despretensão – onde o título, Pequenas Coisas Me Fazem Feliz, pode traduzir parte disso. O power trio de Belo Horizonte Adílson Badaró (guitarra e voz), Lucas Sallum (baixo) e José Caputo (bateria), chega ao primeiro álbum cheio de disposição e confiança na própria pegada. Se muito das influências dessa garotada fazia barulho quando eles nem eram nascidos, a habilidade em modernizá-las lança uma brisa de frescor sobre as 11 canções do disco.

Que abre no andamento convidativo de “Pra Sempre Em Mim”, seguindo num crescendo envolvente até explodir na tormenta de guitarras do refrão. A batida de teclado em “Tenho A Solução”, que sugere o início de um pop orquestral, se transforma em corrente contínua de guitarras desaguando em ‘uh-uh-uhs’ nos backings pós-refrão. Riff ganchudo seguido pelo baixo sinuoso de Sallum, vocal carismático de Badaró e melodia insinuante, prenunciam um dos hits do disco: “Nova Chance”. A trama de guitarras invocadas dispara até esbarrar no refrão colante de “Não Quero Ser Igual A Você” – e deixar a impressão que o Radiotape já domina os meandros do guitar pop.

Porque sabe eletrificar o som do mesmo modo que sabe adoçar os vocais; porque aplica na distorção a força inversamente proporcional à que aplica nas melodias pop. O que provado fica na envolvente, climática e bela “Entregue-se Aos Seus Sonhos”. Outro candidato a hit, “Olhe Pra Frente”, e sua progressão de acordes viciantes, sublinha a auto-suficiência emocional – momentânea - dos rapazes: “pode partir, pois não preciso de você”. Com a companhia de um teclado pontuando, a pressão sonora em “Apostar Em Você” arrefece e a melodia doce mostra que os relacionamentos frustrados continuam inspirando gerações.

“Tarde Demais” turbina o clima com pegada punk e rebeldia controlada, involuntariamente, pelo DNA pop do grupo – sabe o Foo Fighters? Guitarra limpa, riff em certo tom melancólico e o baixo pulsante de “Não Me Leve A Mal” remetem sem escalas ao Strokes, até o outro candidato a hit “Te Alcançar” – literalmente - e te dominar os movimentos, com a batida contagiante e a melodia pop do refrão comandando as melhores sensações. Encerra o disco “Voltar A Brilhar” e suas guitarras de alta octanagem, treinadas especialmente para deixar o pop poderoso do Radiotape reverberando e reverberando, sem dó, no teu córtex cerebral.

www.myspace.com/radiotape

3 comentários:

Thiago TV disse...

esses caras são muito bons cara
vale apena ir no show deles
show de bola

Fabiano Fusaro disse...

Cara, gostaria de publicar a resenha que fez do disco da Radiotape no meu jornal e blog. É possível? Qualquer coisa posso enviar uma edição do jornal assim que for publicado.

Aguardo seu retorno

Danton K disse...

mto bom, ando ouvindo esse cd direto!